domingo, 27 de dezembro de 2009

ESPORTES RADICAIS...

Meus medos são altamente contraditórios.
Tenho pavor de bodyjump, rapel, asa delta e todos os ditos 'Esportes Radicais', só de pensar minhas mãos suam.
Já dei vexame ao atravessar uma simples ponte, tudo bem que era uma altura digna de vertigem, mas foi vergonhoso.
Porém, quer um 'esporte' mais radical que o amor? Nesse me jogo, me atiro de olhos abertos, me entrego por completo, até mesmo quando alertam para tempestades à vista.
Adoro 'jogar' com a sedução, com o romantismo, com a poesia do encontro.
Malhar os músculos do coração, exercitar o arco e fecha do flerte e torcer para acertar na mosca.
A cada fase são descobertas novas sensações e vamos subindo de modalidade.
Começamos na modalidade paquera, e sempre torcemos pra que evolua até a casada... é como nos esportes de luta, sempre em busca da faixa preta.
Não digo que o medo seja inexistente, apenas não é paralisante.
É um medo bom, daqueles estimulantes, excitantes, produtores de endorfina, serotonina e muita adrenalina pra dar aquele frio gostoso na barriga, aquele coração acelerado.
Às vezes saimos esfolados, ou com um coração quebrado, mas no final das contas tudo é válido.
O segredo é perseverança, paciência e muito jogo de cintura.
Saber driblar os obstáculos, saltar as barreiras, acelerar no momento certo e frear quando preciso.
Sempre rumando para o ponto de chegada, que é a felicidade.

SE EU FOSSE EU...


Provavelmente eu seria muito diferente.
Daria mais importância ao que é realmente importante e abstrairia melhor as insignificâncias.
Seria mais participativa, me envolveria mais com os assuntos políticos, econômicos, seria mais antenada.
Se eu fosse eu não seria ciumenta e se o fosse, o seria na medida exata para envaidecer o ser amado.
Se eu fosse eu seria menos teimosa, menos impulsiva, contaria até 8 antes de dar uma resposta atravessada que me faria arrepender logo após dita.
Seria uma pessoa mais aberta, principalmente com meus familiares, deixaria que eles entrassem no meu mundo e os faria me ver por completo.
Se eu fosse eu sentiria menos culpa, não me deixaria envolver por chantagens emocionais, por frases de impacto que me paralisam e que me dão uma responsabilidade que não me pertence.
Se eu fosse eu seria mais livre, não teria tanto medo.
Se eu fosse eu descobriria de onde vem a minha ansiedade ruim e acabaria com ela, deixaria somente aquelas que proporcionam as 'borboletas' no estômago.
Começaria a estudar mais, a correr atrás das coisas que quero e faria um curso de fotografia.
Descobriria uma coisa nova todo dia.
Seria mais dinâmica.
Faria trabalhos voluntários.
Traçaria uma meta e a seguiria até concluí-la.
Se eu fosse eu voltaria para meu curso de francês, para o tênis e para o violão.
Comeria comidas mais saudáveis e aboliria refrigerantes e doces.
Se eu fosse eu retomaria a escrever mais para o meu grupo italiano.
Se eu fosse eu pouparia mais dinheiro, pagaria as dívidas antigas antes de fazer novas.
Se eu fosse eu minhas mágoas não usariam bóias, eu simplesmente as esqueceria.
Seria menos sensível, mas sem perder a doçura, só por uma questão de proteção.
Choraria menos e riria ainda mais.
Se eu fosse eu, eu seria quem sou.

* Esse post surgiu após ler uma crônica da Clarice Lispector, onde ela propõem aos leitores que se fizessem essa pergunta. Transcrevo abaixo o texto da Clarice.

Quando não sei onde guardei um papel importante e a procura se revela inútil, pergunto-me: se eu fosse eu e tivesse um papel importante para guardar, que lugar escolheria? Às vezes dá certo. Mas muitas vezes fico tão pressionada pela frase "se eu fosse eu", que a procura do papel se torna secundária, e começo a pensar. Diria melhor, sentir.
E não me sinto bem. Experimente: se você fosse você, como seria e o que faria? Logo de início se sente um constrangimento: a mentira em que nos acomodamos acabou de ser levemente locomovida do lugar onde se acomodara. No entanto já li biografias de pessoas que de repente passavam a ser elas mesmas, e mudavam inteiramente de vida. Acho que se eu fosse realmente eu, os amigos não me cumprimentariam na rua porque até minha fisionomia teria mudado. Como? Não sei.
Metade das coisas que eu faria se eu fosse eu, não posso contar. Acho, por exemplo, que por um certo motivo eu terminaria presa na cadeia. E se eu fosse eu daria tudo o que é meu, e confiaria o futuro ao futuro.
"Se eu fosse eu" parece representar o nosso maior perigo de viver, parece a entrada nova no desconhecido. No entanto tenho a intuição de que, passadas as primeiras chamadas loucuras da festa que seria, teríamos enfim a experiência do mundo. Bem sei, experimentaríamos enfim em pleno a dor do mundo. E a nossa dor, aquela que aprendemos a não sentir. Mas também seríamos por vezes tomados de um êxtase de alegria pura e legítima que mal posso adivinhar. Não, acho que já estou de algum modo adivinhando porque me senti sorrindo e também senti uma espécie de pudor que se tem diante do que é grande demais.
(Texto extraído do livro A Descoberta do Mundo, Clarice Lispector, editora Rocco, pg. 156).

* Foto Googleada

sábado, 26 de dezembro de 2009

SORRISO PRA TE DAR...


Te ler nas linhas claras
Das palavras de amor
Versadas em rimas ricas
De uma felicidade pungente
Que estampa nas entrelinhas óbvias
Um sorriso que ilumina a minha face
E reflete na tua.

FELIZ 2010!


LIBAÇÃO 
Elisa Lucinda

É do nascedouro da vida a grandeza.
É da sua natureza a fartura
a proliferação, os cromossomiais encontros,
os brotos, os processos caules,
os processos sementes os processos troncos,
os processos flores,
são suas mais finas dores
As conseqüências cachos,
as conseqüências leite,
as conseqüências folhas as conseqüências frutos,
são suas cores mais belas

É da substância do átomo
ser partível produtivo ativo e gerador
Tudo é no seu âmago e início,
patrício da riqueza, solstício da realeza.

É da vocação da vida a beleza
e a nós cabe não diminuí-la,
não roê-la com nossos minúsculos gestos ratos
nossos fatos apinhados de pequenezas,
cabe a nós enchê-la, cheio que é o seu princípio
Todo vazio é grávido desse benevolente risco
todo presente é guarnecido
o estado potencial de futuro

Peço ao ano-novo
aos deuses do calendário
aos orixás das transformações:
nos livrem do infértil da ninharia
nos protejam da vaidade burra
da vaidade “minha” desumana sozinha
Nos livrem da ânsia voraz daquilo que ao nos aumentar
nos amesquinha
A vida não tem ensaio, mas tem novas chances

Viva a burilação eterna,
a possibilidade: o esmeril dos dissabores!
Abaixo o estéril arrependimento
a duração inútil dos rancores
Um brinde ao que está sempre nas nossas mãos:
a vida inédita pela frente e a virgindade dos dias que virão!

RETROSPECTIVA 2009...

Vai chegando o final do ano e começamos a fazer uma retrospectiva para saber o que foi feito, o que se pode melhorar, eliminar, ajustar e claro, elabóra-se também a famosa lista de planos pra o ano que nasce. Isso será assunto pra um próximo post.
Geralmente não gosto de anos ímpares, sou adepta dos pares, mas fazendo um balanço geral, esse ano me reservou muitas surpresas, a maioria boa.
Vamos à elas.

NOS ASSUNTOS DO CORAÇÃO:
  • Comecei o ano com o pé esquerdo, com direito a um belo pé na bunda. Sofri, chorei, me desesperei, me decepcionei, porém tudo valeu a pena. Não há arrependimentos, restou a amizade.
  • Depois uma pessoa muito querida apareceu na minha vida, durou pouco é fato, mas o suficiente para construirmos uma grande amizade.
  • O que me estava reservado surgiu de forma linda, romântica, doce, que a um primeiro momento eu não consegui identificar, mas quando vi eu tinha sido flechada de modo avassalador e me entreguei, me doei inteira. Ainda bem que nem só de amores à primeira vista são feitas as belas histórias de amor. Hoje estamos muito bem, felizes e com vários planos de uma vida à dois, que serão trilhados no próximo ano.
VIAGENS: Viajei bastante, sou praticamente uma mala de rodinhas ambulante, e nada de piadinhas infâmes, ok? rs
Meus destinos foram os mais variados possíveis: Campinas, São Paulo, Belo Horizonte, Ouro Preto, Rio de Janeiro, Niterói, Paquetá, Fortaleza e Três Lagoas.
Para mim, viajar é um meio de libertação.

SAÚDE: Tive meus momentos de perrengues, mas nada que uma semana de cama não resolvesse. E também contei com o auxílio de alguns remedinhos, inclusive tarja preta, sempre com acompanhamento médico. O importante é procurar ajuda e saber que tem solução.

MEU ÍNTIMO: Cresci muito nesse ano, tive uma transformação muito grande, amadureci, ousei, me abri mais, me coloquei em primeiro plano, fui até egoísta em alguns muitos momentos e recebi várias críticas por isso, foi um egoísmo necessário. Começo a querer abrir as asas e voar, porém muito há de ser feito, minha pressa é racional.

TRABALHO: Altos e baixos nesse setor. A 'marolinha' me atingiu, nada desesperador, mas que para o próximo ano espero dar uma guinada nessa questão.

DÍVIDAS: Levo algumas para o próximo ano, não teve jeito, pensei que conseguiria quitá-las nesse ano, mas não foi possível. Será também um ano a ser lembrado pelos meus três primeiros empréstimos e a reabertura da minha conta corrente.

AMIZADE: Fiz grandes e queridos amigos e pessoas que levarei comigo sempre e o melhor é que solidifiquei as minhas amizades antigas.

PERDAS: Perdi pessoas importantes e queridas, a principal delas foi minha avó, mas todas elas ficarão para sempre comigo na memória, nas lembranças e no coração. A saudade ficará, mas essa é também um meio de mantermos frescas nossas lembranças.

TERMOS CULTURAIS: Foi um ano que classificaria como insatisfatório. Queria ter lido mais, ter visto mais filmes, ido ao teatro, feito cursos. Não adianta lamentar, agora é correr atrás do prejuízo no próximo ano.

Colocando tudo em uma balança, concluo que foi um ano revigorante, cheio de aprendizados, de algumas perdas e muitos ganhos.
Um ano de análise profunda de mim mesma, de pontos que precisam melhorar, de coisas a serem corrigidas e outras aprimoradas.
Foi um ano de desencontros e encontros.
De lágrimas e risos.
De turbulências e paz.
Um ano para ser recordado para sempre.
Um ano que voou e quando dei por mim já estava desejando Feliz Ano Novo!
Pois então, que venha 2010!

* Foto Googleada

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

ENTÃO É NATAL...

A todos vocês, meus amigos queridos!

* Foto googleada

ME IRRITA HORRORES...











  1. Levar bolo
  2. Ter ciúme
  3. Esperar
  4. Barulho
  5. Grito
  6. Telefone ocupado
  7. Mentira
  8. Falsidade
  9. Inveja
  10. Desrespeito
  11. Vitimismo
  12. Injustiça
  13. Mau humor
  14. Burrice
  15. Estupidez
  16. Alergia
  17. Dívidas
  18. Impontualidade
  19. Dissimulação
  20. Lerdeza
  21. Ser ignorada
  22. Cólica
  23. Filme com final aberto
  24. TPM
  25. Corrupção
  26. Trânsito
  27. Poluição
  28. Calor
  29. Pasta de dente na roupa
  30. Que arrumem meu quarto
  31. Que entrem sem bater
  32. SPAM
  33. Email de corrente
  34. Sinal fechado
  35. PC com problema
  36. Ficar sem internet
  37. Pisar em cocô ou chiclete
  38. Cabelo em sabonete ou comida
  39. Falta de energia elétrica
  40. Quando o fósforo quebra
  41. Promessas não cumpridas
  42. Ansiedade
  43. Tomar remédio
  44. Engolidores de espadas
  45. Que me chamem por outro nome
  46. Tic tac de caneta
  47. Que me cutuquem
  48. Relógio barulhento
  49. Giz arranhando o quadro
  50. Insônia
  51. Aperto de mão frouxo
  52. Procurar vaga para estacionar
  53. Esquecer uma palavra ou alguma coisa
  54. Copiloto
  55. Cabelo no ralo
  56. Idem
  57. Estar longe do meu amor
E você, o que te irrita?

* Foto googleada

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

BRECHÓ DO AMOR...

Hoje o grande 'barato' é fazer compras em brechós. A cada dia isso acontece com mais frequência.
Tem brechó de roupas, sapatos, acessórios, bolsas e tudo o mais que se pode imaginar.
Porém, ainda falta algo revolucionário, inovador, e que facilitaria a vida de tantas pessoas. Falo de um brechó do amor.
Por que isso?
Simples: tudo seria mais fácil, mais direto e provavelmente quase indolor.
Me explico melhor. O que se é conhecido não gera expectativas, não cria ansiedades.
Acabaria aquela sensação de desconforto do primeiro encontro ou da primeira vez juntos e não haveria aquele sentimento de tentar se superar.

Onde por as mãos, o que dizer, o que fazer, como agir, seriam ações feitas de modo natural.
As dúvidas pertinentes do tipo: Será que estou agradando? Será que vamos nos rever? A espera aflita pela tal ligação do dia seguinte, seriam tudo coisas do passado.

O amor seria exposto em prateleiras e o escolheríamos de acordo com as nossas preferências. Viria com uma etiqueta informando as qualidades, os defeitos, quantos anos de uso, se é de 2ª, 3ª, 4ª mão e assim por diante, só pra saber se não seria uma 'roubada'.

Seria um brechó sem pagamento, pois para a felicidade não existe preço.

Nesse brechó o lema seria: Um amor prêt-à-porter* ao alcance das mãos.

É como se fosse um 'novo' amor com caimento de 'velhos companheiros', já que não há nada melhor que a sensação de ser feito sob medida pro outro, de encontro como se fossem reencontros, de beijos dados, arrematados por arrepios já antes experimentados.

Seria uma vida unida à outra, costurando uma história com início, meio e final felizes.


* prêt” (Pronto) e “à-porter” (para levar), nos termos da moda se traduz por “pronto para vestir.


- Idéia para o post: Ana Martins

- Foto googleada

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

COISAS PRA GENTE GRANDE... PARTE 2

01. Me alimentar do que me frustra. (Maria Rezende)
02. Põe quanto tu és no mínimo que fazes. (Fernando Pessoa)
03. Ou nós encontramos um caminho, ou abrimos um. (Aníbal)
04. Você precisa fazer aquilo que pensa que não é capaz de fazer. (Eleanor Roosevelt)
05. O importante é isso: estar pronto para, a qualquer momento, sacrificar o que somos pelo que poderíamos vir a ser. (Charles Du Bois)
06. Ajusto-me a mim, não ao mundo. (Anais Nin)
07. Faça o que pode, com o que tem, onde estiver.
08. Amar não é apoderar-se do outro para completar-se, mas dar-se ao outro pra completá-lo.
09. Apesar de tudo sorria, amanhã poderá ser pior.
10. A arte de vencer se aprende nas derrotas.
11. Se você ama alguém, deixe-o livre.
12. Sabendo-se sofrer, sofre-se menos.
13. Perdoa aos teus inimigos: nada os chateia tanto!
14. A maturidade consiste em não mais se deixar enganar por 'si' mesmo.
15. As flores chegam até a perfurmar as mãos que as esmagam.
16. O sucesso é ir de fracasso em fracasso sem perder o entusiasmo.
17. Não há dor que o sono não consiga vencer.
18. Vencer a si próprio é a maior das vitórias.
19. Arrancar as folhas boas e regar ervas daninhas. (Maria Rezende)
20. Eu sou na vida o antídoto pra dor. (Maria Rezende)
21. A idade me acolhe, não me assusta. (Maria Rezende)
22. Guardo minhas dores em potes de mel feito conservas. (Mara Faturi)
23. Eu estava leve o suficiente para me colorir. (Monica Saraiva)
24. Desculpem, mas preciso lhes dizer: eu quero o delírio. (Lya Luft)
25. Viver e não ter a vergonha de ser feliz.
26. Pensando em te matar de amor ou de dor, eu te espero calada.
27. Tudo é tão simples que cabe em um cartão postal.
28. É importante se ir ao inferno, ficar uma semana.
29. Mas só eu mesmo pra desculpar por tanta incapacidade de amar.
30. Me entupo de ausências, me esvazio de excessos. Eu não caibo no estreito, eu só vivo nos extremos.
31. Quando fazemos tudo para que nos amem e não conseguimos, resta-nos um último recurso: não fazer mais nada.
32. A verdadeira afeição na longa ausência se prova.
33. O mundo está nas mãos daqueles que têm a coragem de sonhar e de correr o risco de viver seus sonhos.
34. Todos os dias devíamos ouvir um pouco de música, ler uma boa poesia, ver um quadro bonito e, se possível, dizer algumas palavras sensatas.
35. Examinai, sobretudo, o que parece habitual.
36. Na geografia do meu caminho, o medo não existe. (Nella geografia del mio cammino, la paura non c'è).
37. E justo eu que te amo, estou te implorando, me ajude a te destruir. (E proprio io che ti amo, ti sto implorando aiutami a distruggerti).
38. Há um silêncio dentro de mim e esse silêncio tem sido a fonte de minhas palavras.
39. Mergulhamos em nós mesmos e criamos um novo caminho.
40. Irei até onde meu fôlego me levar.
41. Me ame como sou, me ame muito mesmo de longe. (Amami per come sono, amami così anche da lontano).
42. É doce como nunca a espera por você, amanhã chegarás. (È dolce come mai l'attesa di te,
domani arriverai).
43. Serei sempre apego pelo que vale a pena e desapego pelo que não quer valer…

sábado, 8 de agosto de 2009

AI! QUANTO QUERER...


Como é difícil escrever de você e para você.
Não sei se é porque quero guardar esse sentimento pra mim ou se é pela vontade de extravasar, gritar, mostrar, escancarar o que explode em mim, e por isso as palavras me atropelam e eu me calo.
Me calo aqui, ali, acolá, mas pra você me abro, me mostro, me rasgo.
Pras pessoas mais atentas é muito fácil identificar o meu estado pleno de amor, pois meus olhos me entregam, meus gestos me revelam e meu coração bate-pulsa frenético.

Ai! Quanto querer...

E é recíproco, é verdadeiro, é intenso.
É um sentimento que invade e domina, que agita e tranquiliza e entre encontros, desencontros e reencontros, tudo se ajeita, tudo toma forma, tem nome, sobrenome, RG, passaporte e tantos planos.

Me encontro totalmente entregue, refém, fascinada, apaixonada, não me lembro nem que os pára-quedas existem, meu salto é livre, porque sei que não há perigo de queda brusca, não há perigo de me esburrachar e se por ventura eu cair, será em seus braços ou em uma cama macia, onde os travesseiros cheiram a sândalo e alecrim... proporcionando muitos sonhos compartilhados, desejados, ansiados seja aqui, no Japão, em Roma, em Londres ou em qualquer lugar, pois isso é o que menos importa, só preciso de você ao meu lado, o quanto antes e urgentemente.

* Foto Googleada

sexta-feira, 12 de junho de 2009

ORAÇÃO A QUARTO MÃOS...




Pra quem está sozinho e quer encontrar alguém...

Afinal de contas hoje é o dia dos namorados...
FELIZ DIA DOS NAMORADOS!
Idéia da oração: Ana Martins...
4 mãos: Ana Martins e Bebel

Dear Lord/Deus/Oxumare/Maome/Buda
N'kukluk'mba, Oxalá, Odin, Manitoo, Xuedeh, Aggayun, Göt, Baoh, Allah, Tupan, N'Olorun, Tamnarah, Golorud, Ualereh, Zambyn, Zeus, Ruwatah, Iesu, Jah, Shalam-Tzieh, Amaterasu, Bathalah, Mandarah, Unguleveh, Khrisnha, Efozu, Amma, Yambah, Oshun, Asdulai, Kalah, Okut, Nyaambeh, Aquaan, Akuah, Jesus, Rah, Yelen-Dayeh, Tentei, Dio, Asher, Dieu, Dios, Ymanah, Kami, So-Ko, Lubnah, Theos, Yallah, Juremah, Shiva, Shangoh, Butzimmy, Yumallad, Yaoh, Dumnezteu, Banarah, Gaya, Munetoh, Aton, Amon, Iemanjá, Erê, Yaoh, Iansã, Adonay, Brahma, Gedepoh, Tzikem-Boo, Atzilah, D'Olodum, Yamanah, Oxóssi, Shido, Gee, Jeováx

Estou indo a um encontro e venho pedir sua proteção e o mínimo de pé no chão e que ele/ela preencha os seguintes requisitos:

Que ele/ela goste de flores, música, crianças, cachorro, poesia, ler, gatos, de andar descalço, água gelada, e uma boa piada;

Que ele/ela seja gentil, educado(a), sensível, inteligente, pontual, carinhoso(a), romântico(a), atencioso(a), criativo(a), mas tenha uma pegada forte e firme e que saiba bem o que fazer com as mãos, a língua e que seu sexo seja usado para proporcionar prazer mútuo;

Que se expresse em bom português/inglês/chinês ou qualquer que seja sua língua, mas que saiba falar o idioma do amor e usar e abusar de palavras obscenas e indecentes nos meus ouvidos de modo a me deixar completamente desorientado(a), atordoado(a), a ponto de querer que esses momentos a dois, sejam intermináveis;

Que seja um(a) homem/mulher responsável, conquistador(a), cumpridor(a) dos seus deveres sociais e morais, divertido(a), sério(a), mas que goste de rir e saiba me fazer rir e que também me faça emocionar;

Que saiba comer bem, e me comer bem, e que permita ser comido(a) numa entrega completa, que esteja aberto(a) a experimentar coisas novas comigo e seja insaciável.

Que seja generoso(a) com amigos, família e consigo mesmo, mas que essa genorisidade não seja extremada, que saiba dizer não, quando for preciso, pra que todo sim dito seja recebido com euforia. Mas que principalmente, goste de dar pra mim e esteja sempre com os braços abertos pra me receber e que nosso encaixe seja perfeito;

Que tenha todos os dentes ou a maioria deles em bom estado, e que saiba usá-los delicadamente e intensamente pra me morder o corpo, me tatuando de prazer;
Que cheire bem, começando com um bom perfume e evolua para aqueles odores que somente ele/ela com sua química maravilhosa poderia elaborar e que nossos odores misturados combinem a ponto de exalarmos o elixir do amor;
Que se não tiver alguns detalhes físico no tamanho e formato que mais aprecio, que pelo menos saiba usá-los, apresentá-los e oferecê-los graciosamente, e que passem despercebidos da minha visão crítica a ponto de serem insignificantes.

Estes são requisitos básicos, Senhor.
Agradeço quaisquer outras qualidades que o Senhor na Sua infinita sabedoria saiba que eu mereça e vá apreciar, porque estou pronta pra recebê-las...
Obrigado(a)!
E que assim seja, agora e por todo sempre.
Amém.

* Foto Googleada.

quinta-feira, 11 de junho de 2009

CONGÊNITO...

Existem pessoas que nasceram para o amor.
Eu definitivamente não sou uma delas.
E olha que tenho muito amor pra dar e dou, mas sempre tem alguma coisa que não dá certo.
Ou é distância demais, ou é um eu adoro você, mas estamos nos enganando, você é demais, mas não dá mais...
Será que o segredo é ser de menos???
Já ouvi até um agora seremos só amigos, isso no auge da paixão...
Já repensei e não vejo onde eu erro...
Talvez o meu errar seja oferecer demais, me entregar demais.
Será que não nasci para o amor, ou o amor que não nasceu pra mim?
Seja como for sigo sozinha e meu coração está transbordando amor.
Ainda bem que eu sei nadar...

* Foto googleada...

quarta-feira, 20 de maio de 2009

ORAÇÃO DO FIM...











Que os corações se acalmem
E as lágrimas sequem

Que o ciúme seja driblado
E o sentimento de posse banido

Que a saudade seja amenizada
E a falta contida

Que as lembranças sejam afáveis
E a amizade possível

Que a paz volte a reinar
E a poesia seja mantida

Como o remédio que dará o alívio
E o alicerce pra reconstruir o chão.

Mãos à obra!

Amém.


* Foto Googleada

segunda-feira, 18 de maio de 2009

OBSESSÃO...











Minha memória se reduz à espamos contínuos
de momentos diversos.
E traz consigo uma saudade dolorosa
de algo que não volta mais
Porque nunca volta.
Os momentos, esses são únicos.

Tudo em mim se agita.
Me debato com sentimentos que deveriam estar extraditados.
Me rebelo por sentî-los de modo agudo, pungente.
Pois me atiçam, me escravizam.
Alforriar-me é uma ordem.
Que talvez não seja cumprida.


* Foto Googleada

domingo, 17 de maio de 2009

MULTIPLICIDADE...



Não sei o que fazer
Quando as escolhas são múltiplas
Pois tudo cabe em mim

Uni duni tê já ficou pra trás
Nos tempos de outrora
Quando bastava fechar os olhos
E torcer para que o acaso fosse certeiro

Ai!
Quero tudo,
Tudo e um pouco mais.


* Foto Googleada

sábado, 16 de maio de 2009

EXCESSOS E FALTAS...


Sinto falta de tudo
De tudo com era antes desse marasmo
Não sei o que conspira contra a gente

Se é a falta de tempo
O excesso de cansaço
A falta de perspectiva
Ou o excesso de distância


Se a falta de frio na barriga
O excesso de afazeres
A falta de programação
Ou o excesso de 'hoje não'

Sei que não nos reconheço mais
Nem mesmo quando olho no espelho
Esse estado morno, me esfria
Preciso das efervescências
Das explosões
Das conquistas diárias

Sou movida à impulsos
À pulsações fortes
À palavras obscenas ditas do nada
À delicadeza excitante de um olhar

Preciso dos estados taquicárdicos quase que constantes
Da sensação de paixão que me impulsiona
Me mantém viva
Alerta
E completamente entregue.


* Foto Googleada

sexta-feira, 15 de maio de 2009

TEORIZANDO...

Abro aqui uma nova teoria: FALTAM BRIGAS EM RELACIONAMENTOS MORNOS.
Você deve estar pensando que enlouqueci de vez, mas pense comigo, um relacionamento muito certinho, sem discussão de relação, sem uma briguinha aqui e um bate boca acolá, tende a ficar muito condescendente, complacente, chato, monótono.
A briga é um dos ingredientes que tempera e movimenta um relacionamento, especialmente se as pazes são feitas na cama.
A briga é necessária, é a prova de que o casal não está indiferente a nada, não está acomodado, não está aceitando tudo, como se tudo estivesse totalmente nos eixos, porque não está.
Não estou fazendo uma apologia às brigas, só tento analisar as coisas de um modo bem racional, tentando compreender de onde vêm algumas indiferenças e o principal entender ao que fomos reduzidos.
A culpa não é sua.
A culpa não é minha.
E ao mesmo tempo é nossa.

quinta-feira, 14 de maio de 2009

CLÍMAX...










Um sorriso trocado
Um olhar flertado
Um beijo roubado
Um segredo confiado
Uma palavra sussurrada

Uma carta chegada
Uma chamada esperada
Uma viagem desejada
Uma surpresa inesperada
Uma saudade matada

Um cheiro de mato
Uma declaração no ato
Um convite indecente
Uma música envolvente
Um ciúme ardente

Uma preliminar bem feita
Uma rapidinha bem dada
Uma briga findada
Uma foto tirada
Uns momentos registrados

Um reencontro marcado
Uma mordida nas costas
Umas unhas cravadas
Nossas pernas enroscadas
A calcinha molhada

Uma luta de línguas
Um coração acelerado
Um frio na barriga
Um poema parido
Uma cama desfeita

Um gozo atingido


* Foto googleada

sexta-feira, 1 de maio de 2009

ALGUMAS DESCOBERTAS E OUTRAS CONFIRMAÇÕES...

DESCOBRI que lugares fantásticos estão onde a gente menos espera

CONFIRMEI
que para a viagem ser perfeita, é preciso pessoas extraordinárias

DESCOBRI que a violência no Rio de Janeiro, beira ao marketing negativo e exagerado

CONFIRMEI que os cariocas são privilegiados

DESCOBRI que com apenas R$2,20 se vai do Leme ao Pontal

CONFIRMEI que Fortaleza ainda é a minha cidade preferida

DESCOBRI que Santa Tereza é um bairro muito charmoso e bucólico

CONFIRMEI que Copacabana tem um 'q' a mais

DESCOBRI que o chopp carioca é delicioso

CONFIRMEI que gentileza gera gentileza

DESCOBRI que o que se coloca na mala por último, é o que mais será usado

CONFIRMEI que preciso ser menos exagerada na arrumação da mesma

DESCOBRI que o sinal do celular na Barra é horrível

CONFIRMEI que sinto falta de mais notícias

DESCOBRI que adoraria morar sozinha

CONFIRMEI que os problemas caseiros me encontram

DESCOBRI que as águas de março, judiam em abril

CONFIRMEI que andar na chuva é revigorante

DESCOBRI que o Rio de Janeiro é uma Europa ambulante

CONFIRMEI que não poderia ser diferente

DESCOBRI que a vista do Pão-de-Açúcar é imbatível

CONFIRMEI que o passeio no Corcovado é mágico e imprevisível

DESCOBRI que comer um peixinho, olhando o mar e tomando um chopp, não tem preço

CONFIRMEI que para todas as outras coisas existe cartão de crédito

DESCOBRI que adoro o mar

CONFIRMEI que o Rio continua lindo.

quinta-feira, 9 de abril de 2009

RETRATO ESCRITO...













Olhos penetrantes que envolvem
Lábios carnudos que seduzem
Pele de porcelana que ilumina
Pescoço comprido que alucina
Nariz alongado que aflora
Postura perfeita que se dobra
Mãos de pianista que incendeiam
Cabelos curtos que provocam
Cílios fartos que enlouquecem
Sorriso sincero que envaidece
Corte moderno que desconserta
Sobrancelhas em arco que flecham.

* Foto googleada...

terça-feira, 31 de março de 2009

ACHADOS E PERDIDOS...

Não sou de fugir
Exceto pra ti
Não sou de me calar
Exceto pra te ouvir
Não sou de me perder
Mas já não há o que fazer
Tudo está perdido


Inclusive eu,
Perdida por você.


Foto Googleada

CI SEI...


Ti sento qui con me
A muovere i miei giorni
I miei pensieri
Anche se c'è questa brutta lontananza che ci separa
C'è pure una pace interiore
Che cresce dentro me
Soltanto perché so che ci sei.

É SÓ PENSAR EM VOCÊ QUE...

Abro um sorriso do tamanho da distância que nos separa
Meu coração dispara, como se corresse para teus braços
Meus olhos brilham, como se fossem um farol sinalizando o rumo a tomar
Minha boca seca, desejosa de teus beijos

Minhas mãos suam, loucas pelo toque
Minhas pernas tremem, como se fossem flutuar
Meu corpo queima, lembrando dos momentos que tivemos e faminto pelos próximos.

E ESSA VONTADE QUE NÃO PASSA...


Vontade dos teus beijos,
do teu toque
do teu cheiro

Vontade da tua presença
da tua risada
da tua chegada


Vontade do teu olhar
da tua voz ao pé do ouvido
dos teus gemidos

Vontade do teu gosto
dos nossos papos
do olho no olho

Vontade do teu sorriso
de acordar contigo
do teu calor

Vontade incomensurável de ti

COM VOCÊ...

Você surgiu assim do nada, sem pretensões, sem expectativas, sem segundas intenções.
Você apareceu em um momento no qual eu me dizia 'fechada para balanço', sem chão, sem vontade e sem condições de me envolver, me apaixonar, e amar então, estava fora de cogitação.
Tudo começou calmo, tranquilo, leve e quando dei por mim foi tomando proporções avassaladoras.
Você me devolveu meu sorriso e minha alegria, minha serenidade e minha paz e comprovou que no coração não se comanda.
As portas escancaradas de outrora já se encontram fechadas, com você para dentro.
Contigo meus planos não são mais individuais, você faz parte deles.
Com você tudo flui expontaneamente.
Sinceridade e transparência nos é algo natural.
Eu não te sufuco, você não me sufoca, nós não nos sufocamos, achamos um equilíbrio, o nosso
ingrediente secreto.
Sabemos que nem tudo é perfeito, mas temos certeza que estamos no caminho certo.

domingo, 29 de março de 2009

CHOVE LÁ FORA E AQUI...

Engraçado postei abaixo um texto falando sobre a felicidade, mas desde ontem me sinto um tanto quanto triste.
É uma tristeza que vem do nada e vai para o mesmo lugar.
De todas as tristezas, aquela não identificada é a que mais tenho medo.
Mas será que é exatamente assim ou sou eu que não estou querendo que ela se revele pra mim com toda a sua essência?
Será uma tristeza remanescente ou virgem?
Apenas sei que é um sentimento que me fez e me faz chorar nesse momento novamente.
Ai ai tô pêssega, um tanto fora de época...

sábado, 28 de março de 2009

ABC DA FELICIDADE...

Amar-te a cada dia
Beijar-te a boca
Cafuné à tarde
Dançar nossas músicas
Espiar teu sono
Falar contigo
Ganhar afagos
Habitar teu corpo
Identificar teus gostos
Juntar nossos lábios
Lavar teus cabelos
Memorizar tuas expressões
Namorar contigo
Olhar teus olhos
Palpitar em teu peito
Querer-te sempre
Roubar teus pensamentos
Saborear teus beijos
Tardar as despedidas
Unir nossos corpos
Viajar contigo
Zelar por nós

QUANTAS PEÇAS CABEM DENTRO DE NÓS?

Estou me reconstruindo, montando o meu quebra-cabeça interno, posso dizer que me agrada a figura que se forma.
É um quebra-cabeça que não vem com a imagem de ante-prima na capa, tudo é novidade, só sendo revelado no momento em que vai se encaixando cada pedaço.
Pouco a pouco uma peça acha seu lugar certo e mais outra e outra. Às vezes colocamos uma no lugar errado, é tão parecida e se encaixa tão bem, mas quando observamos atentamente, alguma coisa está errada, então a mudamos e voltamos a procurar aquela adequada.
Entre acertos e erros continua-se a montagem e consequentemente nos conhecemos melhor e automaticamente somos apresentados àquele ‘eu’ desconhecido até então.
Nesse quebra-cabeça ilimitado de peças existe uma contradição, nos apressamos para montá-lo e ao mesmo tempo torcemos fervorosamente para que o final esteja bem distante, desejando que não nos seja pregado nenhuma peça!

quarta-feira, 11 de março de 2009

MEÇO A SAUDADE...











Pelos sonhos diários
Pelos dias longínquos
Pelos abraços não recebidos
Pelos beijos não dados
Pelos olhares não trocados

Pelas carícias não feitas
Pela cama vazia
Pela carência que fica
Pelas refeições solitárias
Pelas cartas que chegam

Pelos momentos não tidos
Pelos gozos contidos
Pelos desejos mantidos
Pelo colorido apagado
Pelas poesias escritas

Pelas loucuras concebidas
Pelas horas distantes
Pelo arrepio insistente
Pela distância ingrata
Pelo amor que exala

Pelos bom dias não recebidos
Pelos sorrisos não retribuídos
Pelos sussurros calados
Pelos pensamentos roubados
Pelo teu cheiro trazido

Pelas palavras não ditas
Pelas danças imaginadas
Pelas lembranças constantes
Pela presença desejada
Pela ausência temida

* Foto Googleada

quinta-feira, 5 de março de 2009

EMBEVECIMENTO...

Não te conhecia de fato
Sabia da tua existência
Da tua essência
Da tua poesia
Que me absorvia em emoções arrebatadoras.

Eu tinha uma idéia abstrata
E uma vontade concreta
De que o que compartilhávamos à distância
Fosse o equivalente de perto

Me enganei
Me surpreendi
Me maravilhei
Foi tudo infinitamente melhor


* Foto Googleada...

quarta-feira, 4 de março de 2009

NÓS...

A porta se abre e te vejo a sorrir timidamente um sorriso convidativo e sincero.
Teu olhar penetra o meu, tudo se materializa, tudo é real.
No aconchego do teu abraço me perco por alguns segundos.
E o beijo ansiado e desejado, não chega logo.
Não há pressa, não há afoitamento, tudo é absorvido de modo intenso.
Você me mostra a casa, os cômodos, para logo mais me apresentar teu corpo, onde irei ficar.
Tomo a iniciativa do primeiro beijo, minha língua suavemente invade tua boca e encontra a tua.
Minhas mãos vão tateando teu corpo e as tuas o meu.

Tudo em sintonia:
Desejo
Tesão
Delicadeza
Carinho
Doçura
Toque
Felicidade
Orgasmo
Você
Eu
Tudo se funde em um encaixe perfeito.

* Foto Googleada...

DIVANO...









Divino
Divã
De devaneios loucos
De malabarismos mis

Suspiros
Gritos
Explosões

Do êxtase ao gozo

* Foto googleada...

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

ANTEVER...

É sábado.
O despertador estava programado para às 4:00 da madrugada, mas nem havia necessidade, pois a ansiedade é pontualíssima, não perde nunca a hora, mesmo porque já vivia em constante insônia pela expectativa do encontro de logo mais tarde.
O coração batia rápido, como as asas das borboletas no estômago, tão alvoraçadas que não conseguiam nem pousar.
De um único salto, pulei da cama, desliguei o despertador, peguei minha roupa e fui tomar um banho para tentar disfarçar um pouco a cara amassada, as olheiras e buscando ao menos um pouco de relaxamento.
Depois do banho e devidamente arrumada, fui tomar meu café da manhã. Foi quando me dei conta que meu apetite era inexistente, minha fome era outra. Todavia, belisquei alguma coisa, precisava estar no aeroporto às 5:00.
Ajeitei tudo, escovei os dentes, conferi se não estava me esquecendo de nada, peguei a mala e segui rumo à felicidade.
No aeroporto tudo tranquilo e parecia que o vôo chegaria no horário, agradeci aos céus por isso, pois não suportaria atrasos.
Check-in feito, me despedi dos que ficariam e segui sorridente para a sala de embarque.
Nem me lembrei que morro de medo de avião.
Olhava pro relógio em meu pulso de um em um minuto, o que pareceu demorar uma eternidade. Finalmente uma voz anunciou:

_ Senhores passageiros, dirijam-se à sala de embarque, última chamada para o vôo 8888, com destino ao paraíso.

Respirei fundo, as borboletas ainda continuavam ensandecidas, naquele momento mais do que nunca.
Subi as escadas, me dirigi ao meu assento, fiquei na janela para não perder nenhum detalhe.
O vôo durou uma hora, nesse período meu pensamento voou longe, fiz possíveis diálogos imaginários na minha cabeça, exerci os dois papéis. Imaginei como seria o tão esperado encontro, as primeiras palavras ditas e o que viria logo após essas palavras. Minhas feições mudavam constantemente, ora sorrindo, ora mordendo os lábios e olhando para cima e voltando a sorrir. Sempre um semblante de tranquilidade e paz.
No MP3 nossa trilha sonora embalava meus pensamentos e alimentava mais ainda minha imaginação e a vontade de chegar logo o momento de estar de frente ao meu amor.
O piloto informou que já iríamos aterrissar. Já era hora - pensei comigo.
Desci, fui em direção às bagagens, localizei logo a minha na esteira, a peguei e fui procurar a próxima condução, mais uma hora ainda nos separavam.
Mais pensamentos povoaram a minha cabeça e a cada minuto passado, mais feliz ficava.
Avistei o prédio, avisei ao motorista que iria descer.
Agradeci, paguei, peguei a mala e liguei pro meu amor.
Sua voz ansiosa, seu falar ligeiro, estava ainda mais ligeiro pela ansiedade do encontro.
Lhe disse pra respirar fundo, que eu faria o mesmo.
Abri a porta do prédio.
Mas acabo de me decidir que paro por aqui...
Não vou antecipar esses fatos, os próximos passos quero que sejam surpreendentes, até pra mim que já imaginei como podem ser...
Pois, que venha sábado porque eu já estou preparada...

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

VIDA LOUCA, VIDA...

Faltam poucos dias pra te encontrar, ou melhor dizendo, pra te conhecer de fato, em carne, osso, cheiro, beijos, abraços.
Engraçado, porque a impressão que eu tenho é que te conheço desde sempre, tudo se funde e se confunde a ponto de saber o que estamos pensando ou vamos dizer, já estamos na fase de completar os nossos dizeres, como isso é possível? Nos esbarramos há um mês, míseros 30 dias, tão pouco tempo e já compartilhamos e vivemos tantas coisas e ainda temos e teremos tantas outras pra viver.
Tudo em você me encanta e me envolve de modo intenso e verdadeiro, tua inteligência sem ser pedante, teu senso de humor, teu jeito leve de ser e que me dá uma paz imensa e colore os meus dias e as noites, tua sinceridade, tua sensibilidade, tua atenção, teu carinho, tua delicadeza, tua beleza, tua doçura nada enjoativa, enfim poderia falar aqui por horas das tuas qualidades, mas vou parafrasear o ruivo: ESTRANHO SERIA SE EU NÃO ME APAIXONASSE POR VOCÊ...
Me belisco sempre pra garantir que não estou sonhando, aí me dou conta que estou sim, porém é um sonho real, de olhos abertos, muito abertos... pra te ver melhor e cada vez mais.

Imagem capturada do blog: http://3.bp.blogspot.com/_INfsTwXWZNs/SWoXkcqBBvI/AAAAAAAAAI4/aBpUBEODnM4/s1600-h/coracao.jpg

domingo, 8 de fevereiro de 2009

SPECCHIO...



Guardo lo specchio e ti vedo lì
A riflettere la mia immagine
Mi spavento!
A chi appartengo,
A me o a te?

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

TIC TAC...

A hora do encontro parece uma eternidade
O tic tac do relógio vai em câmera lenta
E de repente ao te ver, dispara
Disparando com ele o batucar em meu peito.

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

MEU CORAÇÃO 'FAZ TAQUICARDIA'...

Quem diria!

Esse meu companheiro de guerra,
meu fiel aliado,
que se mostra às vezes um rebelde
na sua luta fervorosa
em busca do amor e da felicidade,
começou novamente a bater no compasso acelerado...
vai à 188 batimentos por minuto
e você reina absoluto.

Resolveu abandonar de vez as notas tristes
e seguir na melodia de sua maravilhosa conquista...
Se prestar atenção
verá ainda que esse estado constante taquicárdico
faz alterações na face,
estampa sorrisos de orelha a orelha,
brilho nos olhos
e semblante suave.

Que maravilha!

Só não consegue driblar
a saudade pungente
que fica batendo no peito.
Deixando uma dor ardente.

Mas não é de tristeza,
Porque sabe que de ti
Só vem completeza...

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

DESTRANQUE-ME...

Nesse labirinto que se criou em mim
O que busco é a chave que me abre
Onde ela se encontra?
Por onde buscá-la se não sei por onde ir?
Às vezes é preciso criar caminhos para não se perder.

Já encontrei diversas delas,
Porém as que encontro,
Não pertencem à fechadura crua
Que encara a rua do desconhecido
Muito parecido com o novo e o incerto
Que pode ser certo fora de mim

Como me libertar,
Se sou minha própria prisão perpétua?

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

QUERENÇA...

Não quero fingir indiferença
   Mas quero evitar uma descrença
       Parar
          Pensar
             Agir
                Deveriam ser ações ordenadas
                  E não desconexas

sábado, 10 de janeiro de 2009

A MATEMÁTICA DO FIM...

Desculpe, não pode entrar. Pelo menos não agora, volte mais tarde.
Estou fechada para balanço, fazendo a contabilidade.
Calculadora a postos!
Sentimentos, desejos, ações , sonhos, dor, felicidade, tristeza, recordações... tudo será colocado na balança para serem contabilizados, observando-se assim as perdas e ganhos.
Momento de tensão e expectativa, afinal de contas ninguém gosta de ficar no vermelho.
Ficamos já no negativo só pelo fim em si, já não existe mais nada ou ninguém para adicionar a nós, é uma baita subtração, isso sim.
Tudo se reduz à contenção de sentimentos, lembranças e uma bela multiplicação da saudade, que nem mais pode ser dividida.

Ok, então noves fora nela!!!

* Imagem capturada do blog: http://apenassentimentos2.zip.net/arch2005-03-16_2005-03-31.html

sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

COM QUANTOS CHOCOLATES SE FAZ UM EXORCISMO?

Ano novo, vida nova...

Não que eu tenha algo contra a vida que eu estava vivendo, não é isso, aliás até tenho em alguns pontos... Mas sou uma camaleoa, sempre disposta a mudar alguma coisa, a aprender outras, a inovar, a me readaptar... Não que eu adore constantemente esse tipo de coisa, mas é que o curso da vida nos faz tomar novos rumos, fazer novas escolhas e quem não se adapta, deixa de crescer como ser humano e eu tenho aversão a isso. Tento sempre tirar um ensinamento das coisas, por piores que sejam. Nem sempre consigo enxergar em tempo real, mas aos poucos vou absorvendo e tentando abstrair aquilo que me é incômodo, que me é inútil, que me é indigesto.
Começo uma série de exorcismos, fui obrigada a isso, tenho que expulsar certos sentimentos que não me deixam em paz...
Certas lembranças também serão eliminadas, outras arquivadas.
Certos desejos mantidos em segredo, outros escancarados.
E assim será, até que eu me sinta novinha em folha, pronta pro que der e vier.

Pois que venham os Hershey's, Kopenhagen, Lacta, Nestlé, Montevérgine, Max, estou precisando de uma boa dose de Theobroma cacao.

Aos diabos os fantasmas e bem-vinda serotonina!

terça-feira, 6 de janeiro de 2009

TUDO QUE ME TRAZ VOCÊ AQUI...

1- Nando Reis, que dor é ouvir Nando... principalmente LUZ DOS OLHOS e DESSA VEZ, impossível não chorar...

2- Av. São João, foi a rua em que a minha vida encostou na tua e de todos os perigos que disseram existir nessa avenida, fui acometida de um que ninguém cogitou: uma flecha perdida que me atingiu em cheio o coração... 

3- Envelopinho de açúcar, não posso passar em um lugar que tenha os danadinhos que já me vejo guardando-os pra ti, nem sei se um dia os poderei te entregar, mas é um jeito que achei de te sentir perto de mim... 

4- Gatos e cães, às vezes saía pela rua e não via nenhum gatinho ou nenhum cãozinho, mas desde que voltei, acho que eles me perseguem, porque em cada canto tem um, será que brotaram de uma hora pra outra, ou será que só agora me dei conta? 

5- MSN, ligo na esperança de te ver online, não que você irá falar comigo, ou que eu vá puxar conversa, não é isso, eu disse VER, você deixou claro que foi embora... 

6- Orkut, acontece o mesmo que no msn, te saber ali, é te sentir ao meu lado. Eu sei que é loucura, mas enlouquecer não é apenas uma questão de insanidade mental, é também uma questão de dor... 

7- Pulso, nunca vi um tão lindo quanto o teu, às vezes me percebo desviando os olhos do pulso de alguém, porque sempre me lembro do teu. Aí fica a pergunta me martelando a cabeça: Será que você foi ao médico pra olhar aquela dor? Me preocupo demais contigo e essa falta de notícia é cruel... 

8- Pivetinha, olho pra pinguinzinha e você está lá, só que dessa vez acompanhada da Pivetinha daí, sinto falta dela também... 

9- Mãos dadas e carícias, passei a ter inveja das pessoas que andam de mãos dadas pela rua, foram momentos ímpares os nossos passeios de mãos dadas. Nossa, como você é doce! Tô me lembrando daquele senhor com o ursinho na rua... que comédia! 

10- Café da manhã, almoço e jantar, te ter durante as refeições foi um sonho! Provar da tua comida e te dar da minha, comer na cama contigo, na tua boca, no teu corpo, pegar mais requeijão pra ti, colocar teu pão na torradeira e te ver discursar que é um aparelho supérfluo, foi tão 'tua cara' falar aquilo, tão meigo! 

11- Lenin e Zeca Baleiro, ou seria Zé Cabaleiro???? Dois momentos de um riso incontrolável quase culminando ao choro, na verdade choramos de rir. Ver de perto tua paixão e intimidade com questões políticas e os personagens que fizeram a história e que você tem tanta admiração, é comovente, você falava deles como se fossem amigos íntimos, chegou a tal ponto de eu querer saber QUE LENIN??? Pra mim era um amigo de infância; e você com aquela carinha de pavor me perguntou: VOCÊ NÃO SABE QUEM É LENIN???? Lógico que sei quem foi Lenin, mas como poderia saber que o teu íntimo amigo era o grande revolucionário russo???... E ao mesmo tempo da tua paixão por revoluções, caiu na armadilha sonora de um nome... impagável!!!

12- Milho cozido com margarina, dia 1º aqui em casa teve milho assado na brasa, passei longe, é uma lembrança que tava recente, milho não passará mais despercebido... 

13- Lichia, tenho certeza que você se lembrará de mim também, você não conhecia e se apaixonou pela danada e eu fiquei feliz por te apresentá-la... 

14- Cinema, assistiria aquele filme horrendo novamente, quantas vezes fossem necessárias, só pra te ter de novo dentro do cinema de mãos dadas comigo e com a cabeça apoiada no meu ombro esquerdo... 

15- Ibirapuera, que lugar lindo, que tarde maravilhosa, que companhia deliciosa, que passeio romântico, com direito a serenata e tudo... 

16- Liberdade, já gostava desse bairro, da sensação boa que tenho lá, agora terei mais um motivo pra gostar de lá... 

17- Museu da Língua Portuguesa e Pinacoteca, momento cultural, com joguinhos de palavras, troca de olhares... 

18- Piano, aquele senhor tocando piano na Estação da Luz, te ver emocionar com a emoção dele, o orgulho que ele tem dos netos, e a comprovação de que muitas pessoas têm um potencial muito grande e mal aproveitado pela falta de oportunidades, foi um momento especial... 

19- Formule 1, dava uma vontade louca de correr pra lá sempre, fazer pit-stops eternos, afinal de contas te ter nos meus braços, estar nos teus, não tem preço... 

20- Supermercado, antes mesmo das nossas idas aos diversos supermercados que fomos, já pensava em ti quando ia a um, agora então nem se fala... 

Acho melhor parar por aqui, embora recordar seja reviver, existem coisas que doem demais...
É uma dor de saudade das coisas boas vividas, é uma dor de incompreensão do fim, de vazio, de mágoa, de me sentir tão pequena e tão insignificante, de ter sido descartada do modo que fui.
Conversando com minha confidente querida, me comparei a uma poeirinha que tem sobre o móvel e que a pessoa vai lá e limpa, sem dó, nem piedade... eu acho que por tudo que vivemos eu merecia um pouco mais de consideração.
Não pense que te culpo, pois não te culpo de nada e nem posso, entrei nessa já sabendo que eu iria perder.
Você por outro lado entrou nessa por achar que tinha o controle absoluto da situação, e como me disse em algum dia antes de nos encontrarmos, que o máximo que você levaria contigo seria somente uma saudade da boa, posso estar enganada, mas acho que levou mais que isso...

Obrigada por ter sido meu porto alegre e ter me feito descobrir uma fortaleza que existe em mim...
Obrigada pelas risadas, pelas carícias, por eu ter conhecido o teu outro lado...
Obrigada por me mostrar tua frente e teu avesso...
Obrigada por tudo e por nada...
Só não agradeço por ter saído da minha vida...

Ah, e saiba que do lado de cá a porta ainda está destrancada, quando quiser entre sem bater... 

sábado, 3 de janeiro de 2009

FINGIR: Um Mal Necessário...

De acordo com o Houaiss fingir significa:

1 ocultar sentimento, intenção, pensamento; dissimular
2 fazer parecer real (o que é falso ou inexiste); aparentar, simular 
3 exprimir sem sinceridade 
4 criar na imaginação; inventar 
5 criar como fantasia; imaginar, supor

Fingir que está tudo bem, que não há mágoa, dor, amor, desejo, saudade, falta...
Fingir que é capaz de se curar rapidamente de uma desilusão amorosa...
Fingir que leva numa boa as situações que fogem do controle...
Fingir que está sorrindo, pra ocultar as lágrimas internas...
Fingir que aceita o fim, com a esperança de que seja um novo começo...
É tanto fingir que se eu der sorte, se torna real...

Gostaria que fosse fácil fingir pra mim mesma, assim como é fácil fingir para os outros...
Mas a verdade é que estou repleta de um vazio canibal, que me consome dia e noite, sem me dar um pingo de sossego... 

Como o show não pode parar, seco as lágrimas, ponho os óculos escuros e sigo adiante, se por acaso alguém me perguntar o porquê dos olhos vermelhos, a resposta já está pronta:

__ Foi um cisco que entrou... 

Um fingimento a mais ou a menos, que diferença faz???